segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Hino da Argentina e a formação da "comunidade imaginada".

Os hinos são representativos dos processos de formação dos Estados e das identidades nacionais. Neles é interessante analisar como são representados os membros da “comunidade imaginada”, como Benedict Anderson se refere aos Estados nacionais. A seguir, vejamos sublinhados os adjetivos e valores atribuídos aos argentinos em seu hino:


Oid ¡mortales!
Oid ¡mortales! e grito sagrado:
¡Libertad, Libertad, Libertad!
Oid el ruido de rotas cadenas:
Ved en trono a la noble
Igualdad.
¡Ya su trono dignísimo abrieron
Las provincias unidas del Sud!
Y los libres del mundo
responden:
¡Al Gran Pueblo Argentino
Salud!
¡Al Gran Pueblo Argentino
Salud!
¡Al Gran Pueblo Argentino
Salud!
Sean Eternos Los Laureles
Que Supimos Conseguir
Que Supimos Conseguir
Coronados de Gloria Vivamos
O Juremos con Gloria Morir
O Juremos con Gloria Morir
O Juremos con Gloria Morir
Prof. Paulo Renato da Silva.

Um comentário:

  1. Eu sou meia suspeita pra comentar sobre símbolos nacionais, mas vamos lá.
    Quando paramos pra prestar atenção no hino de algum país é interessante e muitas vezes acaba passando despercebido. O hino fala muito sobre o pais em questão, e pra mim esse sentimento de nacionalismo contido no hino é essencial até pra entender alguns acontecimentos do próprio país. Não conheço muito ainda da história da Argentina, mas ao ler as últimas frases: "Coronados de Gloria Vivamos, O Juremos con Gloria Morir", me pego pensando se elas já não foram usadas como grito de guerra ou incentivaram algum protesto ou algo do tipo. Digo isso por que as vezes vemos o hino brasileiro sendo usado dessa forma, citado em algum discurso de presidente. ou de alguém que busca o apoio da população

    ResponderExcluir