sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Hobsbawm e o engajamento do historiador.


Outro tema presente na obra de Hobsbawm é o engajamento político do historiador. Sinteticamente, para Hobsbawm, é possível ser um historiador engajado, militante, e produzir uma História crítica, inclusive com a(s) “ideologia(s)” nas quais acreditamos. Entretanto, isso não era consenso entre os seus críticos, como apareceu em entrevista dada à Folha de São Paulo em 2009:
Em seu novo livro ("Reappraisals"), o historiador britânico Tony Judt escreveu um ensaio sobre o senhor ("Eric Hobsbawm and the Romance of Communism"). Neste, mostra admiração por seu conhecimento, mas faz uma severa crítica: "para fazer o bem no novo século, nós devemos começar dizendo a verdade sobre o antigo. Hobsbawm se recusa a mirar o demônio na cara e chamá-lo pelo nome". Como o sr. responderia a seu colega?
A crítica de Judt não se justifica. O que ele quer é que eu diga que estava errado. Em "A Era dos Extremos", eu encaro o problema, o critico e condeno. Não tenho problemas em dizer que a Revolução Russa causou dor e sofrimento à população russa. Porém, o esforço revolucionário foi algo heroico. Uma tentativa de melhorar a sociedade como não se viu mais na história. Me recuso a dizer que perdi a esperança.
O sr. havia dito, numa entrevista ao "Independent", que havia alguns clubes dos quais não iria ser sócio nunca, referindo-se aos intelectuais ex-comunistas. Ainda pensa assim?
Não vejo problema quando um intelectual, especialmente de países do Leste Europeu, percebe que a democracia é melhor do que o sistema autoritário em que vivia. É normal a mudança de posição quando surgem fatos novos. O ex-comunista que condeno é aquele que antes militava em grupos de esquerda e que hoje tem uma bandeira única, a de ser anticomunista apenas, esquecendo-se do resto das ideias pelas quais lutava. Também me entristece ver intelectuais jovens, que não passaram pela história dessas lutas, repetindo e tentando tirar benefício desse mesmo tipo de propaganda.” (Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/1161979-leia-a-ultima-entrevista-do-historiador-eric-hobsbawm-a-folha.shtml>. Acesso em: 5 out. 2012).
Prof. Paulo Renato da Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário