quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Violência e "cultura de transgressão" na América Latina.

Em O Desafio Latino-Americano: coesão social e democracia, Bernardo Sorj e Danilo Martuccelli analisam a violência na América Latina.
Dentre outras causas, os autores apontam o que chamam de “cultura de transgressão”, ou seja, o descumprimento das leis seria muito comum entre nós.
Para os autores, a origem dessa “cultura” estaria no período colonial. “A raiz dessa situação se localiza muitas vezes na herança colonial, a saber, a distância – para não dizer o abismo – entre o país legal e o país real, isto é, entre o que a lei manda e o que a realidade social permite (o famoso “se acata mas não se cumpre” da era colonial).” (2008: 159).
Trata-se de um argumento interessante, mas apresenta problemas. Seria a violência, então, um “mal de origem” nosso? Estaríamos “condenados” a conviver com ela? Se essa “cultura de transgressão” remonta ao período colonial, seria realmente possível superá-la? Em outras palavras, essa explicação pode nos levar a uma visão determinista da História.
Mas vale frisar que os autores não se restringem a essa “cultura de transgressão” para explicar a violência na América Latina.
Referências bibliográficas:
SORJ, Bernardo; MARTUCCELLI, Danilo. O Desafio Latino-Americano: coesão social e democracia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.
Prof. Paulo Renato da Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário