segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Pensar História na América Latina: Migrações.

Hoje começaremos uma série especial sobre história das migrações. Retomaremos uma atividade muito interessante realizada durante a Semana Acadêmica de História da Unila anunciada aqui no blog. Entre os dias 24 e 26 de agosto, nas escolas estaduais Presidente Castelo Branco e Barão do Rio Branco, uma equipe de professores e estudantes da Unila desenvolveu uma dinâmica com estudantes de ensino médio e magistério. A oficina “Pensar História na América Latina” trabalhou a temática da história das migrações através da história familiar dos estudantes. Utilizamos mapas que mostravam diferentes processos migratórios para a América Latina e o Brasil em distintos momentos históricos (como o mapa abaixo, extraído de ADAS, Melhem. Panorama geográfico brasileiro. São Paulo: Moderna, 2004, p. 285). 



Em um primeiro momento, com a classe disposta em um círculo, questionamos os alunos se eles mesmos se imaginavam migrantes, isto é, se pensavam em sair de Foz do Iguaçu em algum momento de suas vidas.


Atividade de abertura na Escola Presidente Castelo Branco

Em seguida, os estudantes, divididos em grupos, compartilharam histórias familiares de migração, apontando os elementos que indicavam a origem e as tradições culturais de suas famílias. Comentaram elementos como fotos, objetos, receitas culinárias, expressões de linguagem, entre outros. A atividade estimulou uma reflexão sobre a construção da memória das migrações na região da Tríplice Fronteira e sobre a escrita da história a partir de diversas fontes, materiais ou imateriais.

Discussões em grupo na Escola Barão do Rio Branco

A equipe da Unila com a equipe da Escola Barão do Rio Branco


Aproveitando essa experiência nas escolas de Foz do Iguaçu, faremos uma série de postagens trazendo vídeos e artigos relacionados à temática das migrações.

Profa. Mirian Santos Ribeiro de Oliveira.
Prof. Pedro Afonso Cristovão dos Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário