domingo, 3 de abril de 2016

Museo Chileno de Arte Precolombino

Em janeiro de 2016, turistas apressados caminhavam pelas ruas centrais de Santiago, capital do Chile. Eu fazia parte de um grupo que percorria, a pé, as principais atrações turísticas do centro da cidade. Na Plaza de Armas, ouvimos do guia, um brasileiro que falava muito bem o espanhol, que a história de Santiago se iniciou com a conquista espanhola e que a praça é um dos principais cenários deste importante evento histórico. Algumas pessoas do grupo fizeram perguntas sobre o entorno, sobre características da Plaza. E me assombrei por não ouvir uma única indagação sobre os habitantes originários do território. Bem, os mapuche apareceram na narrativa do guia um pouco adiante, quando parou diante de um monumento que remete ao sofrimento deste povo, em luta constante contra a opressão (dos conquistadores espanhóis, dos criollos e dos próprios chilenos). Caminhamos um pouco mais, entramos na rua Compañía e nos detivemos alguns momentos perto do Museo Chileno de Arte Precolombino. Agora sim, os habitantes originários da terra foram mencionados. A coleção do museu foi elogiada e uma visita fortemente recomendada. O tour seguiu, levando-nos a outras direções do centro da capital chilena. Mas permaneci incomodada, durante todo o passeio, com a mensagem transmitida pelo guia: a história do Chile (e, por derivação) da América Latina, teria começado com a conquista europeia.
Poucos dias depois, visitei o Museu Chileno de Arte Pré-Colombina. Lembrei-me do tour e tive a esperança de que alguns de meus companheiros de caminhada turística houvessem seguido a recomendação de conhecer seu acervo. Estava aqui uma oportunidade de conhecer outra versão da história da região que hoje chamamos de América Latina. O museu foi inaugurado em 1981. A coleção pessoal de Sergio Larraín García-Moreno (1905-1999), um arquiteto chileno admirador, conhecedor e colecionador de peças de arte criadas por povos originários de nosso subcontinente, formou as exposições permanentes do museu. A riqueza, complexidade e sofisticação das peças reunidas e das narrativas que contam sobre o passado americano desafiam as perspectivas eurocentradas sobre nossa história. Um relato interessante sobre a formação do Museu pode ser visto neste vídeo:



video
Los comienzos del Museo


O edifício que abriga a instituição também tem uma história interessante. Em meados da década de 1980, enquanto se preparava uma reforma do prédio, arqueólogos encontraram vestígios de, pelo menos, três ocupações anteriores daquele terreno: a Corregedoria de Santiago, no século 16; um convento jesuíta, no século 17; o Palácio da Aduana, no século 19. Também foram identificados artefatos indígenas e espanhóis que não apenas reforçam a memória da presença ancestral indígena no território hoje ocupado por Santiago. As tecnologias híbridas de construção de ferramentas e do próprio edifício lembram, ainda, as trocas culturais, marcadas por relações desiguais de poder, entre os povos originários e os conquistadores espanhóis.  Um pouco mais sobre a história do prédio do Museu:


video
El edificio del Museo


O website do Museu Chileno de Arte Pré-Colombina merece ser visitado: http://www.precolombino.cl/ Ali podem ser vistas algumas peças do acervo, bem como podem ser encontradas informações sobre as atividades da instituição, publicações e catálogos de exposição disponíveis para download e materiais educativos.


Profa. Mirian Santos Ribeiro de Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário