segunda-feira, 26 de março de 2012

"Gêneros em Debate", 28 e 29 de março na Fundação Cultural.

Nesta semana, na quarta-feira dia 28 e na quinta 29 acontecerá o evento "Gêneros em Debate" na Fundação Cultural, em Foz do Iguaçu. O evento é uma iniciativa de professores dos cursos de História, de Antropologia e de Relações Internacionais da UNILA. A programação completa está disponível em: <http://www.unila.edu.br/noticia/g%C3%AAneros-em-debate>. Contamos com a presença de todos!
Trata-se de um debate fundamental para nós historiadores. A categoria gênero se consolidou nas últimas décadas e tem oferecido novas perspectivas para se compreender como os papéis atribuídos a homens e mulheres são construídos historicamente. Vejamos o que Joan Scott nos diz a respeito:
"No seu uso mais recente, o “gênero” parece ter aparecido primeiro entre as feministas americanas que queriam insistir na qualidade fundamentalmente social das distinções baseadas no sexo. A palavra indicava uma rejeição ao determinismo biológico implícito no uso de termos como “sexo” ou “diferença sexual”. O “gênero” sublinhava também o aspecto relacional das definições normativas de feminilidade. As que estavam mais preocupadas com o fato de que a produção dos estudos femininos centrava-se sobre as mulheres de forma muito estreita e isolada, utilizaram o termo “gênero” para introduzir uma noção relacional no nosso vocabulário analítico. Segundo esta opinião, as mulheres e os homens eram definidos em termos recíprocos e nenhuma compreensão de qualquer um poderia existir através de estudo inteiramente separado. Assim, Nathalie Davis dizia em 1975: “Eu acho que deveríamos nos interessar pela história tanto dos homens quanto das mulheres, e que não deveríamos trabalhar unicamente sobre o sexo oprimido, da mesma forma que um historiador das classes não pode fixar seu olhar unicamente sobre os camponeses. Nosso objetivo é entender a importância dos sexos, dos grupos de gêneros no passado histórico. Nosso objetivo é descobrir a amplitude dos papéis sexuais e do simbolismo sexual nas várias sociedades e épocas, achar qual o seu sentido e como funcionavam para manter a ordem social e para mudá-la”.  (SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para a análise histórica. Disponível em: <http://disciplinas.stoa.usp.br/pluginfile.php/6393/mod_resource/content/1/G%C3%AAnero-Joan%20Scott.pdf>. Acesso em: 26 mar. 2012).
Prof. Paulo Renato da Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário