terça-feira, 20 de agosto de 2013

Ainda sobre negros, pobres e “violentos”.

Na postagem anterior destacamos como os setores contrários à abolição dos escravos no Brasil difundiram a imagem dos negros – e dos pobres – como violentos.
Mas os abolicionistas também contribuíram para essa imagem. O movimento abolicionista era complexo, heterogêneo e fragmentado. A abolição nem sempre foi defendida por um princípio “humanitário”. Alguns abolicionistas eram contra a escravidão por ser um sistema que se baseava na mão-de-obra de uma “raça” que viam como “inferior” e “violenta”, e que atrapalharia o desenvolvimento do país. Dentre outros pontos, defendiam a abolição para que a mão-de-obra escrava fosse substituída por imigrantes europeus.
A imagem a seguir, retirada da Revista Illustrada, ligada ao abolicionismo, indica bem isso. Observem como a mulher e o bebê são associados a canivetes:

Revista Illustrada, Rio de Janeiro, n. 281, 1882, ano VII, p. 8.

Prof. Paulo Renato da Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário