quinta-feira, 1 de maio de 2014

"Varre, varre, vassourinha...": a campanha de Jânio Quadros.

Um dos “jingles” mais famosos das campanhas para presidente do Brasil é o que usou Jânio Quadros nas eleições de 1960: “Varre, varre, vassourinha...”, composto por Maugeri Neto. Jânio prometia “limpar” o Brasil, daí o apelido de “vassourinha”:


Varre, varre,varre vassourinha!
Varre, varre a bandalheira!
Que o povo já 'tá cansado
De sofrer dessa maneira
Jânio Quadros é a esperança desse povo abandonado!
Jânio Quadros é a certeza de um Brasilmoralizado!
Alerta, meu irmão!
Vassoura, conterrâneo!
Vamos vencer com Jânio!

Jânio venceu as eleições, mas renunciou nove meses depois. Jânio foi apoiado pela conservadora União Democrática Nacional (UDN), mas, no plano externo, procurou desenvolver uma política externa independente, não necessariamente alinhada e exclusiva com os Estados Unidos. Chegou a condecorar Ernesto Che Guevara. Foi insustentável conciliar essa política externa com o apoio que tinha recebido da UDN. Seu curto governo também foi marcado por medidas polêmicas e “impopulares”, como a proibição das brigas de galo, do lança-perfume nos bailes de Carnaval e dos biquínis nos concursos de “miss”.


Prof. Paulo Renato da Silva.

Um comentário:

  1. Eu tenho uma dúvida um tanto estúpida, mas que ainda sim pode ser válida: Jânio Quadros tinha algum apelido ou algo semelhante?

    ResponderExcluir