segunda-feira, 16 de junho de 2014

O retorno Duvalierista.

Poderíamos finalizar estas postagens sobre a ditadura no Haiti com o texto anterior, onde falamos do fim da ditadura no ano de 1986. Porém, quase 30 anos depois do fim desta ditadura, os mesmos personagens protagonistas daquela época também querem ser protagonistas agora. Nos casos tradicionais das monarquias, há uma constante renovação através da substituição de seus membros mais velhos ou já mortos por membros juniores. A “dinastia” Duvalierista segue o mesmo caminho.
Em 2011, depois de mais de vinte anos residindo na França, Jean Claude Duvalier retornou ao Haiti. As inúmeras acusações (de desvio do dinheiro público e das atrocidades cometidas por sua milícia) permanecem sem serem averiguadas. Enquanto isso, Baby Doc desfila pela capital do Haiti e ao lado de autoridades políticas com quem mantem bom relacionamento e seu filho Nicolas Duvalier aparenta querer candidatar-se para algum cargo público, além de procurar reabilitar a memória de seu avô (François Duvalier).[1]

O atual presidente do Haiti Michel Martelly (ao centro), cumprimentando Jean Claude Duvalier. A esquerda, Nicolas Duvalier.

Nicolas Duvalier. Especulações em torno de uma possível candidatura nas próximas eleições no Haiti (foto de 2013). Disponível em: http://www.haitiobserver.com/photos/rp/hp3785.html Acesso: 22/05/2014.


Samuel Cassiano - estudante do Curso de História - América Latina, da UNILA.

[1] Robert Berrouët-Oriol. Le retour du duvaliérisme en Haïti sous le manteau de la « réconciliation nationale » Tout Haiti,  Montréal, le 3 janvier 2014. Disponível em: http://canadahaitiaction.ca/content/le-retour-du-duvali%C3%A9risme-en-ha%C3%AFti-sous-le-manteau-de-la-%C2%AB-r%C3%A9conciliation-nationale-%C2%BB Acesso: 22/05/2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário