segunda-feira, 19 de setembro de 2016

A 150 anos daquele dia

No dia 12 de setembro de 1866 ocorreu algo que poderia ter mudado a história. Em um lugar conhecido como Yataity Corá, com esse espírito conciliador, o Marechal Francisco Solano López propôs ao comandante aliado Mitre realizar uma entrevista com os representantes dos três exércitos inimigos. Para tal, no entardecer do dia 10 de setembro enviou como emissário, sob a bandeira do parlamento, a seu ajudante de campo Coronel Martínez, que não pôde cumprir sua missão, pois acometido de balas por tropas argentinas.
Uma nova tentativa de conversa se realizou no dia seguinte, 11 de setembro, desta vez com êxito. Dessa maneira, a nota enviada por López foi entregue a Mitre. A mesma dizia:

 “Quartel General em Paso Pucú, 11 de setembro de 1866 – ao Exmo. Sr. Brigadeiro Geral D. Bartolomé Mitre, Presidente da República Argentina, e General em Chefe do Exército Aliado – Tenho a Honra de convidar a V. E. a uma entrevista pessoal entre nossas linhas, no dia e hora que V. E. assinale. – Deus guarde a V. E. – Francisco Solano López.”

Imediatamente recebida a nota, Mitre se dirigiu ao General Polydoro, reunindo-se também com o General Flores. Os chefes aliados se mostraram favoráveis a aceitar uma reunião entre Mitre e López.
A resposta do argentino foi a seguinte:

“Quartel General do Exército Aliado, 11 de setembro de 1866 – Ao Exmo. Sr. Marechal Don Francisco S. López, Presidente da República do Paraguai, e General em Chefe de seu Exército – Tive a honra de receber a comunicação de V. E. datada de hoje, convidando-me a uma entrevista pessoal entre nossas linhas, no dia e hora que se acordasse; e respondendo, devo dizer a V. E. que aceito a entrevista proposta, e me acharei amanhã às 9 da manhã, no ponto de nossas linhas, no Paso de Yataity Corá; levando uma escolta de vinte homens, que deixarei à altura de minhas [tropas] avançadas, adiantando-me pessoalmente no terreno intermediário para o fim indicado, se V. E. se conforma com isso. – Deus guarde a V. E. muitos anos – Bartolomé Mitre.”

No dia 12 de setembro de 1866, cedo pela manhã, do alto de uma carruagem, López marchou ao lugar combinado para a reunião, posteriormente montou em seu cavalo escoltado por 24 ginetes. Mitre concorreu acompanhado de seu Estado Maior e de uma escolta de uma vintena de ginetes. 
Os presidentes conferenciaram durante cinco largas horas, sentados, em cadeiras levadas pela escolta de López, que também levou uma mesinha; horas parados, horas passeando, fumando cigarros... 

Representação do encontro Mitre-López. Fonte: http://www.wikiwand.com/es/Francisco_Solano_L%C3%B3pez

O resultado daquelas largas horas de conversa foi estéril. López não aceitou um acordo de paz sob as bases do tratado de Aliança e resistiu até o final. Terminada a entrevista, López pediu tinta, penas e papel, e ditou a um escrevente... O texto que López ditou pode ser visto em detalhes no seguinte Link: http://www.portalguarani.com/381_julio_cesar_chaves/19964_la_conferencia_de_yataity_cora_1958__resumen_de_julio_cesar_chaves.html

Mariela Raquel Melgarejo López


Tradução: Pedro Afonso Cristovão dos Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário